NÚMEROS

BALANÇO FINANCEIRO

BALANÇO PATRIMONIAL

(Em Milhares de Reais)

ATIVO NOTAS 31/12/2018 31/12/2017
CIRCULANTE 5.791.455 4.157.867
Caixa e Equivalentes de Caixa 2.4b e 3 3 12
Instrumentos Financeiros ao Valor Justo por Meio do Resultado 2.4c e 4 402.895 192.086
Instrumentos Financeiros ao Valor Justo por Meio de Outros Resultados Abrangentes 2.4c e 5 5.373.486 3.902.648
Ativos Não Financeiros 4.271 153
Outros Ativos Financeiros 6 10.800 62.968
NÃO CIRCULANTE 34 38
Imobilizado 2.4d e 7 28 31
Intangível 2.4e e 8 6 7
TOTAL DO ATIVO 5.791.489 4.157.905
PASSIVO E PATRIMÔNIO LÍQUIDO 31/12/2018 31/12/2017
CIRCULANTE 3.965 7.039
Obrigações Fiscais e Previdenciárias 9 575 4.751
Contas a Pagar 2.4f e 10 3.390 2.288
NÃO CIRCULANTE 164.124 150.436
Provisões para Contingências 2.4g e 11 164.124 150.436
PATRIMÔNIO LÍQUIDO 5.623.400 4.000.430
Patrimônio Social Constituído 671.633 643.217
Resultado Abrangente Acumulado 4.736.169 3.328.797
Superávit Acumulado 215.598 28.416
TOTAL DO PASSIVO E PATRIMÔNIO LÍQUIDO 5.791.489 4.157.905

DEMONSTRAÇÃO DO RESULTADO DO PERÍODO

(Em Milhares de Reais)

DESCRIÇÃO NOTAS 01/01 a 31/12/2018 01/01 a 31/12/2017
RECEITAS 28 44
Receita de Reciclagem 1 32
Trabalho Voluntário Obtido 18 27 12
DESPESAS (168.081) (159.345)
Despesas Gerais e Administrativas 14 (14.743) (12.359)
Despesas Tributárias 15 (10.775) (11.442)
Despesas Contingenciais Tributárias 16 (13.686) (27.672)
Programas Itaú Social 17 (128.850) (107.860)
Trabalho Voluntário Concedido 18 (27) (12)
RESULTADO LÍQUIDO (168.053) (159.301)
RESULTADO FINANCEIRO 383.651 187.717
Receitas Financeiras 13 383.653 187.717
Despesas Financeiras (2) -
SUPERÁVIT DO PERÍODO 215.598 28.416

DEMONSTRAÇÃO DO RESULTADO ABRANGENTE

(Em Milhares de Reais)

DESCRIÇÃO 01/01 a 31/12/2018 01/01 a 31/12/2017
Superávit do Período 215.598 28.416
Instrumentos Financeiros ao Valor Justo por Meio de Outros Resultados Abrangentes 1.407.372 952.897
SUPERÁVIT ABRANGENTE 1.622.970 981.313

DEMONSTRAÇÃO DAS MUTAÇÕES DO PATRIMÔNIO LÍQUIDO

(Em Milhares de Reais)

DESCRIÇÃO Patrimônio Social Ajustes de Avaliação Patrimonial Superávit Total do Patrimônio Líquido
Saldos em 31/12/2016 608.980 2.375.900 34.237 3.019.117
Movimentação do período:
Transferência do Superávit de Recursos sem Restrição 34.237 - (34.237) -
Instrumentos Financeiros ao Valor Justo por Meio de Outros Resultados Abrangentes - 952.897 - 952.897
Superávit do Período - - 28.416 28.416
Saldos em 31/12/2017 643.217 3.328.797 28.416 4.000.430
Movimentação do período:
Transferência do Superávit de Recursos sem Restrição 28.416 - (28.416) -
Instrumentos Financeiros ao Valor Justo por Meio de Outros Resultados Abrangentes - 1.407.372 - 1.407.372
Superávit do Período - - 215.598 215.598
Saldos em 31/12/2018 671.633 4.736.169 215.598 5.623.400

DEMONSTRAÇÃO DOS FLUXOS DE CAIXA

(Em Milhares de Reais)

DESCRIÇÃO 01/01 a 31/12/2018 01/01 a 31/12/2017
Superávit do Exercício 215.598 28.416
Ajustes de: 33.714 83.155
Receitas Financeiras 33.710 83.153
Depreciação e Amortização 4 2
Variações nos Ativos e Passivos 58.664 65.026
(Aumento) Redução em Ativos
Outros Ativos Financeiros 52.168 42.589
Ativos Não Financeiros (4.118) (69)
(Redução) Aumento em Obrigações
Obrigações Fiscais e Previdenciárias (4.176) (2.786)
Contas a Pagar 1.102 (2.544)
Provisões para Contingências 13.688 27.698
Caixa Líquido das Atividades Operacionais 307.976 176.597
Atividades de Investimento (307.985) (176.598)
Aquisição de Ativo Imobilizado - (32)
Aquisição de Intangível - (8)
Subscrição de Ações (63.466) (36.032)
(Aplicações)/Resgates de Investimentos (594.462) (245.090)
Receitas Financeiras 349.943 104.564
Aumento/(Redução) Líquido de Caixa e Equivalente de Caixa (9) (1)
Aumento/(Redução) Líquido de Caixa e Equivalente de Caixa (9) (1)
Caixa e Equivalente de Caixa - Início do Exercício 12 13
Caixa e Equivalente de Caixa - Início do Exercício 3 12

NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS
EXERCÍCIOS FINDOS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2018 E 2017

(Em Milhares de Reais)

NOTA 1 – CONTEXTO OPERACIONAL

A Fundação Itaú Social (Fundação) é uma entidade sem fins lucrativos, constituída em 14 de outubro de 1988, com sede no município de São Paulo, localizada na Praça Alfredo Egydio de Souza Aranha, nº 100 - Torre Alfredo Egydio, 9º andar - Parque Jabaquara, que atua com o objetivo de:

   I.  Gerir projetos de interesse da comunidade, de forma ampla e objetiva, apoiando ou desenvolvendo projetos sociais, científicos e culturais, nas comunidades onde o Conglomerado Itaú Unibanco S.A. atua, prioritariamente nas áreas de ensino fundamental e saúde; e

   II.  Apoiar projetos ou iniciativas já em curso, sustentados ou patrocinados por entidades de reconhecida idoneidade.

O custeio das atividades da Fundação, com recursos próprios, estará limitado ao somatório das contribuições e dos rendimentos efetivamente recebidos decorrentes da aplicação do seu acervo patrimonial, caracterizado como superávit e registrado em rubrica específica do Fundo Patrimonial, excluindo-se deste o eventual lucro na alienação de ações de emissão do mantenedor principal e demais empresas e entidades que integram o Conglomerado Itaúsa.

Para manter a estrutura operacional e administrativa da Fundação, os recursos financeiros originam-se, principalmente, do resultado gerado pelos seus ativos financeiros.

A Fundação possui certificado de inscrição no Conselho Municipal de Assistência Social – (COMAS) nº 1052/2013, emitido em 28/11/2014, cuja a inscrição é por tempo indeterminado.

As demonstrações contábeis da entidade elaboradas para o período de 01/01 a 31/12 de 2018 foram aprovadas pela Diretoria em 19/03/2019.

NOTA 2 – POLÍTICAS CONTÁBEIS SIGNIFICATIVAS


2.1 BASE DE PREPARAÇÃO


As demonstrações contábeis foram preparadas conforme as práticas contábeis adotadas no Brasil, em conformidade com a Resolução CFC nº 1.409/12 de 21/09/2012 que aprova a NBC ITG 2002 – Entidades sem fins de lucros, alterada e consolidada em 21/08/2015 como ITG 2002 (R1) e incluindo os pronunciamentos emitidos pelo Comitê de Pronunciamentos Contábeis (CPC). Para melhor apresentação das demonstrações contábeis, foram realizadas adequações nas notas explicativas referente ao exercício de 2017.


2.2 PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS EMITIDOS RECENTEMENTE E APLICÁVEIS EM EXERCÍCIOS FUTUROS


a) Pronunciamentos Contábeis Aplicáveis para o Período Findo em 31 de dezembro de 2018

  • CPC 48 – Instrumentos Financeiros - O pronunciamento substitui o CPC 38 – Instrumentos Financeiros: Reconhecimento e Mensuração. O CPC 48 é aplicável a todos os ativos e passivos financeiros e foi adotado de forma retrospectiva na data de entrada em vigor da norma em 1º de janeiro de 2018. O novo normativo está estruturado para abranger os pilares (I) classificação e mensuração de ativos financeiros, (II) redução ao valor recuperável (impairment) e (III) contabilização de cobertura (hedge accounting). A transição para o CPC 48 não acarretou efeitos no patrimônio líquido e no resultado.

b) Pronunciamentos Contábeis Emitidos Recentemente e Aplicáveis em Períodos Futuros

  • CPC 06 – Arrendamentos (R2) - O pronunciamento substitui a IAS 17 – Arrendamentos, bem como interpretações relacionadas (IFRIC 4, SIC 15 e SIC 27). Elimina a contabilização de arrendamento operacional para o arrendatário, apresentando um único modelo de arrendamento que consiste em: (a) reconhecer os arrendamentos com prazo maior que 12 meses e de valores substanciais; (b) reconhecer inicialmente o arrendamento no ativo e passivo a valor presente; e (c) reconhecer a depreciação e os juros do arrendamento separadamente no resultado. Para o arrendador, a contabilização continuará segregada entre operacional e financeiro. Esta norma é efetiva para exercícios iniciados em 1º de janeiro de 2019. Os possíveis impactos decorrentes da adoção desta norma estão sendo avaliados e serão concluídos até a data de entrada em vigor da norma.

  • Alteração da Estrutura Conceitual - Em março de 2018, o IASB emitiu a revisão da Estrutura Conceitual (Conceptual Framework) e as principais alterações se referem a: definições de ativo e passivo; critérios para reconhecimento, baixa, mensuração, apresentação e divulgação para elementos patrimoniais e de resultado. Estas alterações são efetivas para exercícios iniciados em 1º de janeiro de 2020 e os possíveis impactos estão sendo avaliados e serão concluídos até sua data de entrada em vigor.

2.3 ESTIMATIVAS, JULGAMENTOS E PREMISSAS CONTÁBEIS


A preparação das demonstrações contábeis, em acordo com o CPC, exige que a administração realize estimativas e utilize premissas que afetam os saldos de ativos e passivos divulgados na data das demonstrações contábeis. Dentre elas os montantes divulgados de receitas, despesas, ganhos e perdas durante os períodos apresentados e em períodos subseqüentes, pois o uso de estimativas e julgamentos é complexo, considerando diversas premissas e projeções futuras. Por isso, a liquidação das transações pode resultar em valores diferentes das estimativas. A Fundação não possui estimativas contábeis consideradas críticas que possam representar um risco significativo, com probabilidade de causar algum ajuste relevante nos valores contábeis de ativos e passivos nos períodos subseqüentes.


2.4 RESUMO DAS PRINCIPAIS POLÍTICAS CONTÁBEIS


a) Moeda Funcional e Moeda de Apresentação – As demonstrações contábeis estão apresentadas em Reais, sendo sua moeda funcional e de apresentação.


b) Caixa e Equivalentes de Caixa – A disponibilidade compreende o caixa, contas correntes em bancos e aplicações financeiras com prazo original igual ou inferior a 90 dias.


c) Instrumentos Financeiros - Instrumentos financeiros são inicialmente reconhecidos ao valor justo e subseqüentemente mensurados ao custo amortizado ou ao valor justo.


I - Classificação e Mensuração dos Instrumentos Financeiros


A partir de 1° de janeiro de 2018, o Instituto passou a aplicar o CPC 48 - Instrumentos Financeiros e classificados nas seguintes categorias de mensuração:


  • Custo Amortizado;
  • Valor Justo por meio de Outros Resultados Abrangentes;
  • Valor Justo por meio do Resultado.

Custo Amortizado

O custo amortizado é o valor pelo qual o ativo é mensurado no reconhecimento inicial, mais atualizações efetuadas utilizando o método de juros efetivos, menos a amortização do principal e juros, ajustado para qualquer provisão para perda de crédito esperada.


Valor Justo

Valor justo é o preço que seria recebido pela venda de um ativo ou que seria pago pela transferência de um passivo em uma transação ordenada entre participantes do mercado na data de mensuração.



d) Imobilizado – São demonstrados ao custo de aquisição líquido da depreciação acumulada. O custo inclui quaisquer gastos diretamente atribuíveis necessários para preparar o ativo para o uso pretendido pela administração. A vida útil econômica dos ativos, revisada anualmente, é definida usando método linear para alocar seus custos deduzidos do seu valor residual, que é estimada como segue:


Móveis e Utensílios, Instalações, Máquinas e Equipamentos de Telecomunicações 10 anos


e) Intangível – Consiste em Software adquiridos separadamente e, da mesma forma que o imobilizado, o intangível é amortizado com base na vida útil estimada.


f) Contas a Pagar – São obrigações a pagar por bens ou serviços que foram adquiridos no curso normal das atividades, sendo reconhecidas ao valor da fatura ou do contrato correspondente, classificadas no passivo circulante se o pagamento for devido no período de até um ano. Caso contrário, as contas a pagar são apresentadas no passivo não circulante.



g) Provisões – São decorrentes principalmente de processos judiciais e administrativos, inerentes aos cursos normais dos negócios movidos por terceiros, ex-funcionários e órgãos públicos em ações cíveis, trabalhistas e fiscais. Os valores das contingências são quantificados utilizando-se modelos e critérios que permitam a sua mensuração de forma adequada, apesar da incerteza inerente ao prazo e valor.



Para as provisões contingenciais, utiliza-se definições do Pronunciamento Técnico CPC 25, conforme definições a seguir:


– Prováveis: São constituídos passivos reconhecidos no Balanço Patrimonial na rubrica Provisão para Contingências;

– Possíveis: São divulgadas nas Demonstrações Contábeis, quando relevantes, não sendo nenhuma provisão registrada;

– Remotas: Não requerem provisão e divulgação.


h) Patrimônio Líquido – O patrimônio é composto de doações, recursos e eventual superávit que são aplicados integralmente no território nacional e na manutenção e desenvolvimento de seus objetivos institucionais.


NOTA 3 – CAIXA E EQUIVALENTES DE CAIXA

DESCRIÇÃO 31/12/2018 31/12/2017
Depósito em Conta Corrente 3 12
Total 3 12

NOTA 4 – INSTRUMENTOS FINANCEIROS AO VALOR JUSTO POR MEIO DO RESULTADO

DESCRIÇÃO 31/12/2018 31/12/2017
Cotas de Fundo de Renda Fixa - TEBE Curto Prazo FICFI 402.895 192.086
Total 402.895 192.086
As aplicações em cotas de fundo de investimento são atualizadas diariamente pelo respectivo valor da cota.
Os instrumentos financeiros ao valor justo por meio do resultado estavam classificados no Nível de Risco 2 em 2018 e 2017.

NOTA 5 – INSTRUMENTOS FINANCEIROS AO VALOR JUSTO POR MEIO DE OUTROS RESULTADOS ABRANGENTES

Abaixo a composição dos ativos financeiros ao valor justo por meio de outros resultados abrangentes:

31/12/2018 31/12/2017
DESCRIÇÃO Quantidade de Ações (mil) Custo Ajuste a Valor Mercado Valor Contábil Quantidade de Ações (mil) Custo Ajuste a Valor Mercado Valor Contábil
Itaúsa Investimentos Itaú S.A. (1) 379.152 604.082 4.348.413 4.952.495 336.547 540.616 3.011.767 3.552.383
-ON 337.679 594.374 3.859.612 4.453.986 329.846 532.173 2.947.702 3.479.875
-PN 41.473 9.708 488.801 498.509 6.701 8.443 64.065 72.508
Itaú Unibanco Holding S.A. (2) 13.770 33.235 387.756 420.991 9.180 33.235 317.030 350.265
-ON 12.267 29.608 338.506 368.114 8.178 29.608 277.951 307.559
-PN 1.503 3.627 49.250 52.877 1.002 3.267 39.079 42.706
Total 392.922 637.317 4.736.169 5.373.486 345.727 573.851 3.328.797 9.902.648
(1) O aumento da quantidade de ações refere-se a subscrição conforme aviso aos acionistas de 19/02/2018.
(2) Conforme aviso aos acionistas de 01/11/2018 as ações foram desdobradas em 50% pela posição acionária de 19/11/2018.
Os instrumentos financeiros ao valor justo por meio de outros resultados abrangentes estavam classificados no Nível de Risco 1 em 2018 e 2017.

NOTA 6 – OUTROS ATIVOS FINANCEIROS

DESCRIÇÃO 31/12/2018 31/12/2017
Juros sobre Capital Próprio a Receber 3.217 57.887
Itaúsa Investimento Itaú S.A. 3.071 56.560
Itaú Unibanco Holding S.A. 146 1.327
Dividendos a Receber 7.583 5.048
Itaúsa Investimento Itaú S.A. 7.583 5.048
Outros - 33
Total 10.800 62.968

NOTA 7 - IMOBILIZADO

DESCRIÇÃO 31/12/2017 Movimentação 31/12/2018
Saldo Depreciação Saldo
Móveis e Equipamentos 31 (3) 28
Total 31 (3) 28

NOTA 8 - INTANGÍVEL

DESCRIÇÃO 31/12/2017 Movimentação 31/12/2018
Saldo Amortização Saldo
Software 7 (1) 6
Total 7 (1) 6

NOTA 9 - OBRIGAÇÕES FISCAIS E PREVIDENCIÁRIAS

DESCRIÇÃO 31/12/2018 31/12/2017
COFINS (1) - 4.299
Obrigações sobre Folha Pagamento 325 267
Tributos sobre Serviços de Terceiros 250 185
Total 575 4.751

NOTA 10 - CONTAS A PAGAR

DESCRIÇÃO 31/12/2018 31/12/2017
Salários e Obrigações Sociais 2.117 1.336
Programas Itaú Social 1.242 905
Taxa de Administração de Carteira (Nota 19) 31 17
Total 3.390 2.288

NOTA 11 - PROVISÕES PARA CONTINGÊNCIAS

DESCRIÇÃO 31/12/2018 31/12/2017
Tributárias (1) 164.048 150.410
Trabalhistas 76 26
Total 164.124 150.436
(1) Refere-se a provisão Imposto de renda sobre aplicações financeiras e Juros sobre Capital Próprio, com fundamento na decisão do Supremo Tribunal Federal, que deferiu, em parte, o pedido da medida cautelar na ação Direta de Inconstitucionalidade nº 1.802-3.

NOTA 12 – TRIBUTOS

A Fundação goza de imunidade tributária nos termos do artigo n° 150 da Constituição Federal. Com relação à tributação federal, ressalta-se que a Fundação:

  • É imune ao Imposto de Renda das pessoas Jurídicas - (IRPJ) conforme o artigo 12 da lei n° 9.532, de 10 de dezembro de 1997 e isenta da Contribuição Social sobre Lucro Líquido - (CSLL) conforme o § 1 do artigo 15 da lei n° 9.532, de 10 de dezembro de 1997;
  • É imune do imposto incidente das contribuições sociais sobre as receitas financeiras a partir de 1º de julho de 2015, conforme o decreto nº 8.426/2015, de 1 de abril de 2015;
  • Imposto de Renda Retido na Fonte - (IRRF) para fins da não retenção do imposto de renda sobre rendimentos de aplicações financeiras, realizadas através do Itaú Unibanco S.A., com fundamento na decisão do Supremo Tribunal Federal, que deferiu, em parte, o pedido da medida cautelar na ação Direta de Inconstitucionalidade nº 1802-3;
  • É contribuinte da Contribuição para os Programas de Integração Social – (PIS/PASEP), com base na folha de salários conforme o inciso III do art. 13 da MP n° 2158-35, de 24 de agosto de 2001; e
  • É imune ao pagamento de tributos, exceto quanto às retenções de Impostos Sobre Serviços – ISS, Institutos Nacional do Seguro Social – INSS e Imposto de Renda Retido na Fonte – IRRF sobre serviços contratados, para auxílio de sua operação, de acordo com o previsto no parágrafo 2º do artigo 12 da Lei nº 9.532/97 e do parágrafo 3º do artigo 10º da Lei 9.718/98.

Com relação à tributação estadual, ressalta-se que a Fundação: É imune ao Imposto sobre Transmissão “Causa Mortis” e Doação de Quaisquer Bens ou Direitos – (ITCMD) conforme temos do art. 7º do Decreto n° 46.655/02.


Apresentamos abaixo os valores dos tributos de IRPJ e CSLL, alíquotas de 25% e 9% respectivamente, para os quais a Fundação Itaú Social se considera imune e que foram calculados como se devido fosse, apenas para fins de divulgação em atendimento aos normativos vigentes.

DESCRIÇÃO 31/12/2018 31/12/2017
IRPJ 53.900 7.104
CSLL 19.404 2.557
Total 73.303 9.661

NOTA 13 – RECEITAS FINANCEIRAS

DESCRIÇÃO 31/12/2018 31/12/2017
Juros sobre Capital Próprio 144.420 150.735
   Itaúsa - Investimentos Itaú S.A. 132.579 138.629
   Itaú Unibanco Holding S.A. 11.841 12.106
Rendimentos 22.910 20.185
   Fundos de Investimento - TEBE 22.910 20.185
Dividendos 216.323 16.797
   Itaúsa - Investimentos Itaú S.A. 198.898 15.145
   Itaú Unibanco Holding S.A. 17.425 1.652
Total 383.653 187.717

NOTA 14 – DESPESAS GERAIS E ADMINISTRATIVAS

DESCRIÇÃO 31/12/2018 31/12/2017
Pessoal (11.923) (9.376)
Convênio de Rateio de Custos Comuns (Nota19) (2.383) (2.359)
Institucional (264) (443)
Serviços de Terceiros (173) (181)
Total (14.743) (12.359)

NOTA 15 – DESPESAS TRIBUTÁRIAS

DESCRIÇÃO 31/12/2018 31/12/2017
COFINS (10.743) (11.456)
Outros Impostos e Taxas (32) 14
Total (10.775) (11.442)

NOTA 16 – DESPESAS CONTINGENCIAIS TRIBUTÁRIAS

DESCRIÇÃO 31/12/2018 31/12/2017
IRRF - Juros sobre Capital Próprio (28.372) (31.105)
IRRF - Aplicações Financeiras (8.288) (8.609)
Reversão Provisão IRRF (1) 23.023 12.042
Outras Contingências (49) -
Total (13.686) (27.672)
(1) Refere-se a reversão referente ao ano-calendário de 2012 e 2011, respectivamente.

NOTA 17 – PROGRAMAS ITAÚ SOCIAL

DESCRIÇÃO 31/12/2018 31/12/2017
Apoios e Parcerias (32.395) (19.543)
Itaú Criança (23.073) (13.534)
Formação (12.398) (10.230)
Prêmio Itaú-Unicef (10.499) (11.698)
Fomento (9.092) (6.635)
Melhoria da Educação no Município (8.209) (2.660)
Olimpíada da Língua Portuguesa (6.847) (5.742)
Comunicação (5.639) (4.352)
Comunidade Presente (5.197) (9.229)
Voluntários Itaú Unibanco (4.060) (3.625)
Avaliação de Projetos Sociais (3.939) (1.495)
Pesquisa (3.451) (4.484)
Políticas Educação Integral (2.510) (3.850)
Jovens Urbanos (357) (4.039)
Tutoria - (4.097)
Coordenadores de Pais - (1.681)
Outros (1.184) (966)
Total (128.850) (107.860)

NOTA 18 - TRABALHO VOLUNTÁRIO E GRATUIDADES

Em atendimento a Resolução CFC nº 1.409, de 21 de setembro de 2012 que aprova a NBC ITG 2002 - Entidades sem Finalidade de Lucros, onde interpreta que o trabalho voluntário deve ser reconhecido pelo valor justo da prestação do serviço como se tivesse ocorrido o desembolso financeiro, foram levantados os trabalhos voluntários tomados pela entidade. A mensuração dos trabalhos voluntários de Governança foi feita com base nas informações divulgadas por meio do Estudo de Remuneração dos Administradores (6ª edição), preparado pelo Instituto Brasileiro de Governança Corporativa – IBGC, sendo este atualizado pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA).

DESCRIÇÃO 31/12/2018 31/12/2017
Remuneração das Reuniões da Diretoria (27) (12)

NOTA 19 – PARTES RELACIONADAS

As operações entre partes relacionadas são basicamente com o Itaú Unibanco S.A. as quais caracterizam-se, por:

DESCRIÇÃO 2018 2017
ATIVO / (PASSIVO) 10.769 62.917
Juros sobre o Capital Próprio/Dividendos 10.800 62.934
Itaúsa Investimento S.A 10.654 61.608
Itaú Unibanco S.A 146 1.326
Taxa de Administração da Carteira - (Nota 9) (31) (17)
RECEITAS / (DESPESAS) 360.350 167.308
Juros sobre o Capital Próprio/Dividendos 360.744 167.532
Itaúsa Investimento S.A 331.478 153.773
Itaú Unibanco S.A 29.266 13.759
Taxa de Administração da Carteira (394) (224)
Além das operações acima discriminadas, a Fundação Itaú Social, como parte integrante do Convênio Rateio de Custos Comuns do Itaú Unibanco S.A., registrou despesas gerais no valor de R$ 2.383 (R$ 2.359 em 2017) em função da utilização da estrutura comum.

NOTA 20 – EVENTOS SUBSEQUENTES

O ITAÚ UNIBANCO HOLDING S.A. comunicou aos seus acionistas que o Conselho de Administração, reunido em 04/02/2019, aprovou o pagamento, em 07/03/2019, dos seguintes proventos aos acionistas, tendo como base de cálculo a posição acionária final registrada no dia 21/02/2019:

a) dividendos no valor de R$ 1,0507 por ação, dos quais R$ 0,7607 por ação, por conta do resultado do exercício de 2018, e R$ 0,2900 por ação, à débito da conta de Reserva Estatutária de Lucros; e b) juros sobre o capital próprio no valor de R$ 0,7494 por ação, com retenção de 15% de imposto de renda na fonte, resultando em juros líquidos de R$ 0,63699 por ação, excetuados dessa retenção os acionistas pessoas jurídicas comprovadamente imunes ou isentos.

A ITAÚSA - INVESTIMENTOS ITAÚ S.A. comunicou aos seus acionistas que o Conselho de Administração, reunido em 18/02/2019, aprovou o pagamento, em 07/03/2019, dos seguintes proventos aos acionistas, tendo como base de cálculo a posição acionária final registrada no dia 21/02/2019:

a) dividendos adicionais no valor de R$ 0,4532 por ação.

b) juros sobre o capital próprio adicionais no valor de R$ 0,3111 por ação (líquido de R$ 0,264435 por ação), com retenção de 15% de imposto de renda na fonte, excetuados dessa retenção os acionistas pessoas jurídicas comprovadamente imunes ou isentos.

Fundação Itaú Social

Demonstrações contábeis em
31 de dezembro de 2018
e relatório do auditor independente

ITAÚ SOCIAL | RELATÓRIO ANUAL 2018
TODOS OS DIREITOS RESERVADOS